Servidora que arrancou processo das mãos de advogada é representada no CNJ e no TJ-ES

servidora arrancou processo maos advogada cnj
Via @jurinewsbr | Após arrancar um processo físico das mãos da advogada Juliana Garcia, a servidora Edilamar Muniz de Oliveira, chefe de cartório da 8ª Vara Cível Cível da comarca de Vitória (ES), terá sua conduta apurada pelo CNJ e pela Corregedoria do Tribunal de Justiça do Espírito Santo (TJ-ES).

O flagrante desrespeito às prerrogativas da advogada aconteceu nesta terça-feira (15) e o vídeo divulgado pela JuriNews viralizou nas redes sociais.

Em ação efetiva, um dia após o ocorrido, a OAB Espírito Santo protocolou pedidos de reclamação disciplinar contra a servidora.

Os pedidos assinados pelo presidente da OAB-ES, José Carlos Rizk Filho, foram protocolados, nesta quarta-feira (16), nas corregedorias do Conselho Nacional de Justiça e do Tribunal de Justiça do Espírito Santo.

ENTENDA O CASO

No momento em que folheava um processo físico, a advogada Juliana Garcia questionou sobre uma petição não juntada desde 2020.

A servidora do TJ-ES reagiu arrancando os autos do processo das mãos da advogada. E, a partir de então, passou a impedir o acesso aos autos e disse que só liberava com a determinação do juiz.

A servidora chegou a ameaçar a advogada dizendo que a processaria por desacato após ela continuar buscando ter acesso ao processo.

Por Redação JuriNews
Fonte: jurinews.com.br

O que você achou desse conteúdo? Participe com sua Reaction abaixo:

0/Comentários

Agradecemos pelo seu comentário!

Anterior Próxima