OAB investiga indícios de tortura e execuções durante operação do Bope na Vila Cruzeiro

oab investiga tortura execucoes vila cruzeiro
Via @portalr7 | O procurador da Comissão de Direitos Humanos da OAB-RJ (Ordem dos Advogados do Brasil), Rodrigo Mondego, apura indícios de tortura e execuções durante a operação policial que deixou 23 mortos na Vila Cruzeiro, zona norte do Rio.

Na manhã da última quarta-feira (25), representantes da OAB-RJ e da Defensoria Pública estiveram na comunidade com a Faferj (Federação das Associações de Favelas do Rio de Janeiro) para apurar denúncias de moradores da Vila Cruzeiro.

"Nós tivemos acesso a um cadáver que tinha marcas de faca e um pó branco em seu rosto e na sua boca, o que indica que alguém tentou fazer com que ele ingerisse cocaína pela boca, o que poderia caracterizar tortura", disse Mondego.

Mondego também afirmou que teve acesso a cadáveres que haviam sido colocados em conjunto e disse que isso significa execução sumária.

"Conseguimos observar que algumas pessoas morreram juntas. Tinha alguns grupos de três, quatro e cinco pessoas mortas na mesma localidade, o que indica uma execução sumária", completou.

Mais de 20 pessoas foram mortas durante a operação do Bope (Batalhão de Operações Policiais Especiais) em conjunto com a PRF (Polícia Rodoviária Federal) e a PF (Polícia Federal) na Vila Cruzeiro, zona norte do Rio, na última terça-feira (24). A ação foi considerada a segunda mais letal do Rio de Janeiro.

O objetivo da operação era prender lideranças de uma das maiores facções que atuam no Rio e em outros estados, após informações do setor de inteligência de que um grupo de cerca de 50 criminosos pretendia entrar na Rocinha, na zona sul.

*Estagiário do R7, sob supervisão de PH Rosa

Márcio Mendes, do R7*
Fonte: noticias.r7.com

O que você achou desse conteúdo? Participe com sua Reaction abaixo:

0/Comentários

Agradecemos pelo seu comentário!

Anterior Próxima