Faroeste: Defesa da desembargadora Maria da Graça Osório nega delação premiada!

faroeste desembargadora maria graca delacao premiada
A defesa técnica da desembargadora Maria da Graça Osório Pimentel Leal negou nesta quinta-feira (10), através de uma nota encaminhada à imprensa, que "não houve, não há e nem haverá delação premiada" com o Ministério Público Federal (MPF) no âmbito da Operação Faroeste. A defesa se disse "perplexa e absolutamente surpreendida" pelo que foi divulgado pelos veículos de comunicação.

"A Desembargadora Maria da Graça Osório Pimentel Leal não fez e nem fará qualquer acordo de delação premiada, haja vista que não cometeu crime algum, não havendo, assim, absolutamente nada a delatar", disse.

Ainda de acordo com a nota, "a defesa optou por desistir das testemunhas considerando a fragilidade da acusação, considerando que não foram reunidas provas pela acusação, considerando que a demora do processo já é uma pena para uma ré inocente.  Não há, nem da desembargadora nem de seus defensores, qualquer contato para realizar a delação premiada, notícia despudoradamente propalada sem um soslaio de verdade.

Por Redação BNews
Imagem Ascom/CMS
Fonte: www.bnews.com.br


NOTA À IMPRENSA

Perplexa e absolutamente surpreendida pela irrefletida afirmação veiculada por portal de notícias local, a defesa técnica da Desembargadora Maria da Graça Osório Pimentel Leal vem, perante os veículos de imprensa verdadeiramente sérios, desmentir a arrebatada e absorta afirmação lançada e registrar que, ao revés do que fora divulgado, nunca se cogitou – e nunca se cogitaria - a possibilidade de que, no âmbito da denominada Operação Faroeste, fosse firmada uma delação premiada ou celebrado qualquer espécie de acordo com o Ministério Público Federal.

Não houve, não há e nem haverá delação premiada neste caso.

A Desembargadora Maria da Graça Osório Pimentel Leal não fez e nem fará qualquer acordo de delação premiada, haja vista que não cometeu crime algum, não havendo, assim, absolutamente nada a delatar.

A defesa optou por desistir das testemunhas considerando a fragilidade da acusação, considerando que não foram reunidas provas pela acusação, considerando que a demora do processo já é uma pena para uma ré inocente. Não há, nem da Desembargadora, nem de seus defensores, qualquer contato para realizar a delação premiada, notícia despudoradamente propalada sem um soslaio de verdade.

Pesa dizer, ao fim, que, mais uma vez, um mesmo site, movido sabe-se lá por quais motivos reais, tenha o despautério de divulgar uma mentira dessa magnitude, sem ao menos se desincumbir do dever jornalístico de consultar as pessoas mencionadas.

Salvador/BA, 10 de junho de 2021.

GAMIL FÖPPEL - OAB/BA 17.828
GISELA BORGES - OAB/BA 27.221 
YURI RANGEL - OAB/BA 61.926

gfoppel.com

O que você achou desse conteúdo? Participe com sua Reaction abaixo:

0/Comentários

Agradecemos pelo seu comentário!

Anterior Próxima