Advogado que xingou juiz em processo é preso suspeito de tráfico de drogas e porte ilegal de arma

advogado xingou juiz preso trafico drogas
O advogado Lucas Bernardino de Castro, que teve o registro na Ordem dos Advogados do Brasil de Goiás (OAB-GO) suspenso por xingar um juiz, foi preso suspeito de tráfico de drogas em Goiânia. De acordo com a polícia, após denúncia anônima, militares foram ao apartamento do profissional e encontraram entorpecentes e uma arma.

G1 tentou contato com o advogado por e-mail às 22h, mas não obteve retorno até a última atualização da reportagem.

A prisão aconteceu nesta quinta-feira (1º), na Central de Flagrantes na capital. Segundo a polícia, foram apreendidas porções de crack, maconha, cocaína e uma arma de fogo sem munição. Corporação alega que ele pode responder por tráfico de drogas e porte ilegal de arma de fogo.

G1 entrou em contato com o delegado que atendeu a ocorrência, Dayvison Pedrosa Gerhard, às 21h40, mas não obteve informações sobre o que o advogado alegou em depoimento ou se ele foi liberado.

No dia 24 de junho deste ano, Lucas foi teve o registro na OAB-GO suspenso por 90 dias. Além disso, responde um processo ético-disciplinar, o caso do advogado pode ter alterações, se confirmados os crimes.

Foram apreendidas drogas e uma arma em casa de advogado em Goiânia — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

G1 entrou em contato com a OAB-GO por e-mail às 21h23 para saber sobre as possíveis penalidades, mas não obteve resposta até a última atualização da reportagem.

A suspensão do registro

Segundo o presidente do Tribunal de Ética e Disciplina (TED), Samuel Balduino, a decisão unânime da suspensão veio após o profissional ofender magistrados e servidores em uma petição que visava reaver um cargo público que exercia em Goiânia.

“A conduta dele foi incompatível com a advocacia. Exige-se que o advogado trate todos os sujeitos do processo, seja juiz, servidor, promotor, ou colega, com respeito e humanidade”, diz Samuel.

Trecho de petição em que juízes são ofendidos por advogado em Goiânia Goiás — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

Na petição citada, o advogado chama o juiz responsável pelo caso de "escrotíssimo", "corrupto", "sociopata" e "desgraçado". O profissional escreve que vai "desrespeitosamente" apresentar ao magistrado o recurso de apelação “porque corrupto não merece respeito”.

"Escrotíssimo senhor juíz de direito (corrupto, sociopata e desgraçado) da 4ª Vara da Fazenda Pública Estadual. [...] Venho desrespeitosamente (porque corrupto não merece respeito) perante vossa excelência, um juiz corrupto, sociopata e sem vergonha na cara, apresentar recurso de apelação", escreve o advogado.

Ao final do documento, Lucas pede que o emprego dele seja devolvido, que a Corregedoria do TJ-GO seja informada sobre as acusações feitas na petição, que a sentença que extinguia o processo seja anulada e que o magistrado responsável pela Vara seja considerado suspeito.

*(Imagem de homem preso meramente ilustrativa: reprodução Internet)

Por Michel Gomes, G1 GO
Fonte: g1.globo.com

O que você achou desse conteúdo? Participe com sua Reaction abaixo:

0/Comentários

Agradecemos pelo seu comentário!

Anterior Próxima